Os ninhos artificiais foram criados com o objetivo de contribuir com a conservação dos papagaios em vida livre, suprindo a falta de ninhos naturais. Com a redução de áreas naturais, desmatamento e derrubada de árvores antigas, essas espécies começaram a enfrentar dificuldade para encontrar locais adequados para sua reprodução.

A partir do monitoramento contínuo realizado pelos projetos de conservação, os ninhos artificiais foram desenvolvidos para auxiliar na manutenção e possível aumento populacionais das espécies de psitacídeos com risco de extinção. Atualmente quatro espécies contam com esta tecnologia.

Campanha Adote um Ninho foi lançada em outubro de 2021 para reforçar esta ação, ampliando os esforços e aumentos o número de famílias dessas aves em natureza.

Quais os benefícios desta campanha?

É fácil pensar que apenas os papagaios de quatro espécies serão beneficiados, mas não é bem assim! Conheça outras vantagens da campanha:

Produção de
conhecimento

Ao irem a campo, os especialistas estão gerando dados sobre as espécies e sobre as áreas naturais visitadas. Com eles é possível desenvolver pesquisas e ações mais estratégicas para a conservação.

Valorização de
comunidades locais

Os ninhos artificiais surgiram do trabalho conjunto com moradores do entorno de áreas naturais. O monitoramento também conta com o apoio fundamental dessas comunidades.

Estabelecimento
de parcerias

Para este trabalho dar certo é preciso que governos, órgãos de polícia, sociedade, empresas e imprensa estão juntos! Só a força de projetos do terceiro setor não gerariam todos os resultados possíveis.

Aumento das
populações de papagaios

Este é o resultado mais esperado. No entanto, para que isso ocorra, outras ações precisam ser coordenadas, como o combate ao desmatamento e ao tráfico de animais silvestres.

Combate ao
tráfico de animais

Essa é uma das atividades ilegais que mais ameaça nossas espécies. Os papagaios estão entre os animais mais traficados. Combater essa prática é fundamental para resultados efetivos.

Conservação de
áreas naturais

Ninhos artificiais não bastam. É necessário que existam áreas naturais. Com a instalação, monitoramos áreas ainda preservadas e identificamos áreas potenciais para restauração.

Geração de
emprego e renda

Para a instalação dos ninhos é necessária uma escala de pessoas, desde os técnicos que identificam as áreas potenciais, quem produz os ninhos e todos os envolvidos no processo.

Sensibilização
de pessoas

Os papagaios são aves muito carismáticas, isso ajuda a aproximar pessoas da causa. O que mais precisamos é a conscientização de que papagaio feliz não fala, VOA!

Quais os resultados já alcançados?

0
Novos ninhos adotados
R$ 0
Valor doado para a campanha
0
Pessoas impactadas

Ainda tenho dúvidas sobre a campanha!

Sabemos que pode ser difícil entender como os ninhos artificiais funcionam e qual a técnica por trás deles. Por isso, resolvemos responder as perguntas mais comuns que nos fazem, para que fique bem claro!

Diferentemente das outras aves, os papagaios não constroem seus ninhos, eles precisam encontrar as cavidades em árvores sua reprodução na natureza. As cavidades adequadas para serem seus ninhos, na maioria das vezes, só são encontradas em árvores antigas. Com a redução de áreas naturais, desmatamento e derrubada dessas árvores antigas, essas espécies começaram a enfrentar dificuldade para encontrar locais adequados para sua reprodução, e os ninhos artificiais se tornam essenciais para formarem suas famílias nos períodos reprodutivos.
Uma árvore pode levar até 60 anos – ou mais – para formar uma cavidade. Durante esse tempo, os papagaios precisam se reproduzir. Por isso, a alterativa são os ninhos artificiais. 

Um mesmo ninho pode ser utilizado por toda a vida dos papagaios, desde que ele esteja em condições de uso. Com o tempo tanto os ninhos naturais como os artificiais começam a se deteriorar, por isso os projetos estão sempre verificando se há necessidade de reparar ou de substituir um ninho artificial. 

Não! Existem diferentes tipos de ninhos. O mais comum entre os papagaios é o uso de cavidades, ocos em árvores antigas. Justamente por isso a derrubada de árvores mais velhas, o desmatamento e a falta de florestas em níveis mais avançados de sucessão prejudica tanto a reprodução dessas aves. Mas, o mais legal é que as quatro espécies que testamos (papagaio-de-cara-roxa, papagaio-de-peito-roxo, papagaio-verdadeiro e papagaio-charão) se adaptaram muito bem aos ninhos artificiais, sejam eles feitos de PVC, de madeira ou de poliester.

Não! Frequentemente nossa rede de especialistas e voluntários encontram os ninhos ocupados por outros animais. Já foi registrado o uso por gambás, tamanduá-mirim, cobras e várias espécies de aves, principalmente corujas. Alguns ninhos são invadidos por abelhas africanas, o que pode ser um problema, porque elas matam os filhotes e representam um perigo para o monitoramento deste ninho. Além disso, outros projetos também utilizam os ninhos artificiais com outras aves, como é o caso das araras e do periquito-de-cara-suja. Esses ninhos podem ajudar muito na reprodução destas espécies, mas não podemos esquecer que os ninhos naturais são tão importantes ou até mais, por isso, nada substitui a conservação de nossas florestas. 

O mais comum é que nasçam três filhotes. Mas, já presenciamosninhos com quatro lindos filhotes <3

Sim, é possível! Agora no período de pandemia as visitas estão ainda mais restritas, para garantir a segurança de todos. Mas enquanto isso não é possível sugerimos que você se cuide, se vacine e ajude os projetos mesmo à distância. 

Que bom que você nos perguntou isso! Não! Os projetos realizam uma série de ações, a instalação de ninhos é apenas uma delas. Todos os ninhos ativos cadastrados pelos projetos, naturais ou instalados, são monitorados ao longo de todo período reprodutivo. Acompanhamos a postura dos ovos, nascimento dos filhotes e todo seu desenvolvimento até saírem dos ninhos.  Nós também fazemos o monitoramento populacional (também chamados de censo), que nos dá indicadores sobre o crescimento ou redução das populações em natureza e locais mais críticos para realização de ações específicas, por exemplo. Também atuamos junto aos órgãos ambientais e de polícia para coibir ações que ameaçam os papagaios e seus habitats, como o tráfico de espécies e o desmatamento. Ainda, somos ótimos com ações de pesquisa e de educação ambiental. Sempre que podemos estamos em contato com outros especialistas, acadêmicos e visitando escolas. E, também, trabalhamos fortemente com ações de comunicação. Acreditamos que a informação é o melhor meio de sensibilizar as pessoas e construir uma rede de pessoas ativas em prol de nosso meio ambiente.

Eba! Ficamos felizes em saber que você quer contribuir! Os papagaios agradecem também. Você pode começar divulgando a campanha para sua rede de contatos. Sabemos que este assunto gera muita curiosidade e é um jeito legal das pessoas se aproximarem dessas espécies tão carismáticas. Também é possível compartilhar informações de qualidade sobre o meio ambiente. Em era de tantas fake news, precisamos assumir nosso compromisso cidadão e compartilhar conteúdos de fontes confiáveis. No nosso blog tem várias notícias interessantes e nas nossas redes sociais temos vídeos e o link para todos os projetos. Você pode nos seguir e compartilhar informações. Também é possível visitar Unidades de Conservação (se prevenindo do Covid-19, tudo bem?). Estar em contato com áreas naturais aumenta nossa qualidade de vida, favorece nossa saúde, nos inspira e incentiva que esse trabalho se propague.

E, por fim, caso fique sabendo de uma venda ilegal de papagaios, é fundamental que denuncie para o Ibama e para a Polícia Ambiental ou Rodoviária. O tráfico e o comércio ilegal de papagaios é uma das principais ameaças aos papagaios.

Fique por dentro de outros conteúdos sobre os papagaios. Inscreva-se em nossa newsletter:

Ao se inscrever, você aceita, automaticamente, nossa Política de Privacidade. 

Acesse as redes do Programa Papagaios do Brasil: