Defauft P_verdadeiro_Foto Vandir Silva_Arquivo FNB-01
Campanha incentiva que, neste Natal, dinheiro de presentes seja usado para salvar papagaios brasileiros
Recém lançada pelo Programa Papagaios do Brasil, proposta busca arrecadar recursos para construir ninhos artificiais que supram a falta de cavidades naturais utilizadas para reprodução das espécies. Cenário é resultado do avanço do desmatamento no Brasil

Já pensou em, neste Natal, ao invés de presentear familiares, amigos e funcionários de forma convencional, com brindes e produtos que, em pouco tempo, podem acabar descartados, direcionar a sua lembrança para contribuir com a conservação de papagaios brasileiros?

Essa é a proposta da campanha “Adote Um Ninho”, lançada pelo Programa Papagaios do Brasil, e que convida pessoas físicas e jurídicas a contribuir financeiramente para a instalação, manutenção e monitoramento de ninhos de papagaios de quatro espécies brasileiras: papagaio-de-cara-roxa, papagaio-de-peito-roxo, papagaio-verdadeiro e papagaio-charão. Ela vai até março de 2022.

Para Elenise Sipinski, responsável técnica pelo programa, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) e coordenadora do projeto de conservação do papagaio-de-cara-roxa, da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), a oportunidade de escolher ofertar recursos para a campanha ao invés de gastar com a compra de bens materiais representa a chance de a sociedade repensar prioridades. “Já é de conhecimento público que seguir o ritmo de produção e consumo que estamos vivendo é insustentável. A pandemia também reforçou o que nos é essencial e prioritário. Encerrar um ano tão desafiador como este, auxiliando espécies que precisam tanto do nosso olhar, é uma tremenda oportunidade que temos de reconhecer o valor do bem comum”, aponta.

 

Ninhos artificiais suprem falta de cavidades naturais

Casal de papagaio-verdadeiro. Foto: Dione Sales

A campanha acontece durante o período reprodutivo dessas aves, que ocorre de agosto a fevereiro. Essa é a época em que as espécies demandam maior atenção dos projetos de conservação. “As espécies são monitoradas por especialistas há mais de duas décadas. Com muita pesquisa e conhecimento local, observamos que o desmatamento era uma das principais razões para a ausência de ocos adequados para a reprodução dos papagaios” relata Elenise. “Com isso, incentivamos a criação de Unidades de Conservação nas áreas de distribuição dos papagaios e também instalamos os ninhos artificiais para suprir a falta de cavidades naturais”, explica.

Os ninhos artificiais instalados em áreas ocupadas pelos papagaios auxiliam a suprir a carência de ninhos naturais, contribuindo com a manutenção e o aumento populacional das espécies. Essa tecnologia já é implementada há mais de uma década e tem se mostrado muito efetiva, estimulando o nascimento de centenas de filhotes de papagaios já registrados. Este é o primeiro ano que o Programa Papagaios do Brasil trabalha com uma campanha que vai possibilitar que pessoas de todos os lugares do mundo contribuam por meio da adoção dos ninhos.

 

Presente às atuais e futuras gerações

Filhotes de papagaio-de-peito-roxo. Foto: Tomasi Scaled

A primeira etapa para a adoção dos ninhos consiste em escolher para qual espécie de papagaio ou projeto de conservação a contribuição será destinada. Na sequência, são oferecidas informações sobre os biomas de ocorrência, quantidade de ninhos artificiais já instalados e outras curiosidades para que o adotante tenha certeza de sua escolha. Depois, são sugeridos valores de doação e também oferecidos benefícios que vão da categoria de amiga/amigo dos papagaios à madrinha/padrinho.

Com a doação efetivada, os projetos destinam os recursos arrecadados à produção de novos ninhos artificiais, para contratação de mão-de-obra-local para instalação, custeio das ações de monitoramento dos ninhos naturais e artificiais, continuidade das ações de pesquisa com as espécies e outras atividades que incluem a comunicação e a educação para a conservação dos papagaios em vida livre.

Nós acreditamos muito no potencial de mobilização desta campanha. Os papagaios são espécies carismáticas e muito conhecidas pela população brasileira”, relata Nêmora Prestes, coordenadora do Programa Nacional de Conservação do Papagaio-de-peito-roxo e também integrante da RECN. “Cada vez mais a sociedade tem entendido seu papel cidadão na conservação da biodiversidade. Adotar um ninho precisa ser visto como uma ação que garante futuro, um presente à nossa e às futuras gerações” finaliza.

As adoção dos ninhos pode ser feita pelo site.

Gostando deste conteúdo? Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email