Chauá I_Fabiane_Girardi
Por que os papagaios do Brasil ganharam uma semana especial dedicada a eles?
Semana dos Psitacídeos acontece anualmente na terceira semana de abril. Todos os anos, o IBAMA e a Polícia Ambiental apreendem no Brasil milhares de papagaios que foram ilegalmente subtraídos da natureza – só no Paraná, 5.097 aves foram resgatadas no último ano. O número exato de pássaros capturados pelo tráfico no país não pode ser precisado, mas com certeza deixaria qualquer um espantado...

Semana dos Psitacídeos acontece anualmente na terceira semana de abril.

Todos os anos, o IBAMA e a Polícia Ambiental apreendem no Brasil milhares de papagaios que foram ilegalmente subtraídos da natureza – só no Paraná, 5.097 aves foram resgatadas no último ano. O número exato de pássaros capturados pelo tráfico no país não pode ser precisado, mas com certeza deixaria qualquer um espantado.

O que são Psitacídeos?

Os papagaios fazem parte da família dos Psitacídeos, família de aves também composta pela arara-azul, periquitos e o tuim. Essas espécies são conhecidas por serem muito inteligentes, incrivelmente belas e também dóceis, o que as torna facilmente domesticáveis.

Além disso, espécies como o papagaio-verdadeiro têm uma habilidade incomum para imitar sons, incluindo a voz humana – a cultura popular, há séculos, difunde a ideia de que papagaios repetem o que ouvem. Essas características tornam os papagaios extremamente visados pelo tráfico de animais. E se há quem venda… há quem compre!

O total exato de animais silvestres que são capturadas por ano no Brasil é desconhecido. Entretanto, a ONU estima que, no país, o tráfico de animais seja responsável por movimentar cerca de R$ 2,5 bilhões por ano nas redes de crime organizado. Hoje, o tráfico de animais silvestres é a terceira maior atividade criminosa do mundo, atrás apenas do tráfico de drogas e de pessoas.

Lugar de papagaio é na natureza

Papagaio Chauá – Foto: Fabiane Girardi

Comprar pássaros silvestres como os papagaios para ter como animal de estimação infelizmente ainda é uma prática comum e raramente vista como crime pela sociedade. Por isso, a fim de lutar contra o tráfico de animais silvestres, além de estabelecer uma proteção jurídica mais efetiva e melhorar as condições de trabalho dos órgãos de proteção ambiental, é fundamental difundir conhecimento.

Grande parte desses animais são comprados como ‘animais domésticos’, então sabemos que o combate ao tráfico passa pela conscientização da população. Por isso, decidimos investir nossos esforços nas plataformas digitais e em ações de comunicação”, explica Rafael Sezerban, técnico em conservação da natureza da SPVS, uma das instituições ligadas ao Programa Papagaios do Brasil.

Esse é o principal objetivo da Semana dos Psitacídeos, durante a qual ocorrem vários eventos dedicados ao tema, incluindo iniciativas educacionais com foco na conscientização da população geral pela conservação dos papagaios.

Aproveitamos o momento para lançar o blog do Projeto Papagaios do Brasil, programa que tem como foco seis das espécies de papagaios mais ameaçadas da lista nacional: o papagaio-charão, o papagaio-de-peito-roxo, o papagaio-chauá, o papagaio-de-cara-roxa, o papagaio-moleiro e o papagaio-verdadeiro.

Conheça mais sobre estes animais e sobre o Programa:

Facebook – Programa Papagaios do Brasil

Instagram – Programa Papagaios do Brasil

Gostando deste conteúdo? Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email